Monitoramento do peso de crianças e adolescentes com Transtornos Alimentares via Telessáude (Parte 2)

prof

MONITORAMENTO DE PESO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM TRANSTORNOS ALIMENTARES VIA TELESSAÚDE (Parte 2)

Este texto é a continuação da parte 1 e foi baseado no artigo Family-based treatment via videoconference: Clinical recommendations for treatment providers during COVID-19 and beyond, publicado em 2020 no International Journal of Eating Disorders 

    Na parte 1 deste texto discutimos sobre o que seria a terapia baseada em família (FBT), sua visão agnóstica sobre os transtornos alimentares e as fases de tratamento. Nesta segunda parte, daremos continuidade falando especificamente sobre o levantamento das principais dificuldades e possíveis soluções no tratamento da FBT via telessaúde.

    Considerando que os TAs são doenças que ameaçam a vida, o tratamento multidisciplinar permanece necessário, mesmo em meio à crise global de saúde. Há muitos desafios gerais na prestação de cuidados via telessaúde para crianças e adolescentes com transtorno alimentares, sendo eles:

MONITORAMENTO DO PESO

    No tratamento dos TAs, o monitoramento do peso é uma variável clínica a ser acompanhada, principalmente em pacientes com Anorexia Nervosa. Na FBT o peso do paciente sempre é medido nos primeiros 5-10 minutos de todas as sessões de terapia, porém os tratamentos via telessaúde dificultam a pesagem, pois a medição do peso ocorria de forma presencial. Neste caso é recomendado que os familiares pesem seus filhos em suas casas e relatem o peso verbalmente ou por mensagem no início de cada sessão, podendo combinar com o clínico qual seria a melhor opção. Caso os cuidadores apresentem resistência em pesar o paciente antes da sessão ou esquecem com facilidade, é recomendado orientá-los a realizar a pesagem durante a sessão de terapia na frente do clínico.

    O monitoramento do peso durante a pandemia é uma responsabilidade compartilhada entre profissional da saúde e cuidadores, sendo necessária psicoeducação sobre a importância deste dado científico no tratamento de seus filhos com anorexia e bulimia nervosa. É primordial que o uso da balança ocorra exclusivamente durante os primeiros minutos da terapia e depois os familiares se comprometam em mantê-la longe do alcance de seus filhos.

PRIVACIDADE E INTEGRANDO FAMÍLIAS DIVORCIADAS

    É importante antes das sessões sempre confirmar se a família está em um ambiente seguro para dar início ao atendimento. Recomenda-se o uso de fones de ouvido e lugares dentro ou fora de casa que tenham segurança para se expressarem durante a sessão. Os cuidadores podem usar aparelhos de ruídos, caso tenham parentes que não fazem parte da linha de frente do tratamento do adolescente na casa. Na sessão de reingresso familiar, quando o terapeuta precisar dar orientações específicas aos familiares longe do adolescente, é importante combinar o horário que ele retornará para a sessão. Em caso de famílias divorciadas é recomendado o uso de “sala de espera” para poder organizar o tempo de entrada de alguns membros ao longo do atendimento.

Na parte 3 deste texto abordaremos o acompanhamento das refeições, estratégias de comunicação e o gerenciamento de comportamentos durante a sessão do tratamento família via telessaúde.

Revisão técnica: Fellipe Augusto de Lima Souza – CRP: 06/138263

Referência bibliográfica: Matheson, B. E., Bohon, C., & Lock, J. (2020). Family‐based treatment via videoconference: Clinical recommendations for treatment providers during COVID‐19 and beyond. International Journal of Eating Disorders.


Card image cap
  • Prof. Jenny Langley
  • Quarta 28 de Abril das 8h às 10h (horário de Brasília)
  • 8 aulas online ao vivo e com tradução simultânea
  • Vagas Limitadas

O novo Modelo Maudsley é uma modalidade de intervenção familiar destinada a pais, cuidadores e familiares de pessoas com transtornos alimentares graves. Pela primeira vez no Brasil, a Prof° Jenny Langley, em ensinará aos clínicos diversas estratégias de comunicação, manejo comportamental, habilidades de autocuidado e como instrumentalizar os familiares durante todo o percurso de tratamento.                                                                    


Card image cap
O Papel da Alimentação nas Relações Familiares de Adolescentes com Anorexia Nervosa e Bulimia no Nordeste do Brasil

Este texto foi baseado no artigo The Role of Food in the Family Relationships of Adolescents With Anorexia Nervosa and Bulimia in Northeastern Brazil: A Qualitative Study Using Photo Elicitation, publicado em Abril de 2021 no Frontiersin Psychatry.

Card image cap
Uma revisão sistemática das descobertas eletrofisiológicas em Transtornos Alimentares Compulsivos

Este texto foi baseado no artigo A Systematic Review of Electrophysiological Findings in Binge-Purge Eating Disorders: A Window Into Brain Dynamics publicado em 2021 na Frontiers in Psychology

Card image cap
Transtornos Alimentares e Diabetes

Este texto foi baseado no artigo Eating Disorders and Diabets, publicado em 2020 na Current Diabets Reports